Robert O’Neill, conheça sua metodologia de ensino é a base da LifeUSA

Tempo de leitura: 6 minutos

Robert O’Neill

A cada dia, percebe-se que o mais importante nas relações interpessoais, sejam elas profissionais, sejam elas pessoais, é a conversação. Afinal, o que seria do mundo se as pessoas não se comunicassem oralmente, só escrevessem ou lessem informações?

E quando se fala no aprendizado de outro idioma, como o inglês, não é diferente. Quem estuda uma segunda língua quer e precisa, em um primeiro momento, falar o novo idioma. Além disso, dizer as primeiras palavras em inglês é muito estimulante.

Pode-se comparar com a criança que fala as suas primeiras palavras, já que depois disso ela quer mais, falar e falar mais, se comunicar com as pessoas ao seu redor e se fazer entender, não é mesmo?

Robert O’Neill e a técnica Life USA

Pensando nessa realidade, a escola de inglês LifeUSA aplica um inovador método de ensino, baseado na conversação. Mesmo que a gramática seja ensinada, o foco é no falar, a fim de permitir que os alunos, com mais rapidez e eficiência dominem o novo idioma.

Sammy Oliveira e Robert O’Neill
Sammy Oliveira e Robert O’Neill

Porém, essa técnica de ensino não surgiu com a LifeUSA, mas sim, com Robert O’Neill, que é responsável pela sua base da metodologia de ensino da língua inglesa. Quer saber mais a respeito dele e sua metodologia, bem como conhecer outras figuras famosas desse universo?

Então, continue lendo este artigo e confira nos tópicos a seguir tudo a respeito de Robert O’Neill, sua metodologia de ensino e a base do LifeUSA. Para tanto, se ligue nos tópicos a seguir:

Metodologia LifeUSA

A escola de inglês LifeUSA tem uma proposta diferente de todas as demais. O seu foco é na imersão no novo idioma e na produção oral imediata, sendo que esse método permite que o aluno, a partir da terceira aula, já entenda e se comunique com os professores em inglês.

Mesmo que no início sejam poucas as palavras que o estudante compreende e consegue dizer, trata-se de um conhecimento gradativo. Assim, a cada aula, ele aprende novas palavras, aumentando o seu vocabulário e a sua capacidade de comunicação.

Por isso, em sala de aula, os professores só falam em inglês, o que ajuda ainda a treinar o ouvido dos alunos. Além de oferecer resultados ágeis e eficazes, esse método segura menos tempo em sala de aula os alunos.

Isso quer dizer que não é preciso permanecer anos e mais anos nos bancos escolares para dominar uma segunda língua.

Conheça Robert O’Neill

Robert O’Neill foi professor, treinador de professores e escritor, sendo uma das figuras mais influentes no mundo do ensino de inglês. Aos 81 anos, faleceu, no dia 29 de julho de 2014, no entanto, o seu conhecimento, ensino e dedicação são lembrados até hoje.

Com dom para escrever e contar histórias, Robert é lembrado, inclusive, como uma pessoa de muitos interesses. Da mesma forma, destacam-se o seu conhecimento enciclopédico e as suas opiniões controversas, as quais, não raro, surpreendiam e até mesmo chocavam.

Muitos o tinham como um homem excêntrico, brilhante e escandalosamente anticonvencional, porém, ao mesmo tempo, um coração imenso. Afinal, trata-se de um profissional responsável por publicações pioneiras.

Colegas também recordam do seu entusiasmo profissional e da sua excepcional generosidade para os colegas mais jovens. Sua história é também repleta de acontecimentos. Nascido em 21 de janeiro de 1933, em Chicago, Robert trabalhou primeiro como professor.

Depois, foi para a Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento do Centro Europeu de Línguas e Educação, em Bournemouth. Ele ensinou extensivamente na Europa e escreveu mais de 30 livros.

Como respeitado autor de ELT – English Language Teaching, traduzido como ensino do inglês, lecionou em todo o mundo, conversando em conferências e dando oficinas. Afirma-se que a contribuição de Robert para o mundo do ensino de inglês é lendária.

Em particular, pela publicação do livro pioneiro English in Situations, de 1970, que permaneceu em uso por mais de 35 anos. Também escreveu o livro English in Situations, levantando a questão: o que você diria em uma situação particular e como você diria isso?

Manteve ainda fortes pontos de vista sobre o papel dos livros didáticos no ensino de línguas. Como o fato que a linguagem é um instrumento para gerar o que as pessoas precisam e querem dizer espontaneamente.

Dessa maneira, muito depende da interação espontânea e da criativa na sala de aula. Esse é um dos preceitos da metodologia de ensino do LifeUSA.

Conheça Sammy Oliveira

Já o escritor Sammy Oliveira, que herdou os copyrights da obra de Robert O’Neill, também é uma figura importante da LifeUSA. Ele é o responsável pela formatação de mais de mil páginas sobre todo o seu processo pedagógico.

Conforme a declaração dos alunos da escola de inglês, é necessário apenas alguns poucos momentos de aula de produção oral imediata para sentir o coração batendo mais forte. Além disso, trata-se de um sabor mágico e diferente de tudo o que já se experimentou.

Sammy é ainda CEO de seis redes no segmento da educação e, nos últimos dois anos, lançou 10 livros. Sobre Robert O’Neill, com quem trabalhou, possui muitas lembranças. Entre elas, ele conta:

Robert O’Neill foi, sem dúvida, o escritor mais carismático com quem tive o privilégio de trabalhar. Ele também se tornaria um amigo. Em sua vida pública era, muitas vezes, escandaloso, mas apenas para estimular uma resposta de seu público, fosse um indivíduo ou um grupo de professores.

Seus comentários estranhos e referências a partes do corpo ou suas funções são lendários. De muitas maneiras, ele compartilhava o amor pela linguagem e a vida com os gostos de Dylan Thomas e você não podia deixar de se sentir atraído por ele.

Robert também sempre pensou fora da caixa, muito antes dessa expressão se tornar comum, especialmente quando lidava com a “autoridade” estabelecida. Ele descreveu o trabalho do colega com “uma batalha gloriosa”.

Isso porque o professor, colega e amigo tinha o objetivo de misturar metáforas em suas obras, o que não era comum na época. Por conta disso e muito mais, Sammy lamenta que o mundo do ensino de inglês tenha perdido seu colaborador mais colorido e criativo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *